O SINDIPÚBLICO, ao lado de outros sindicatos e associações que integram o Fórum em Defesa dos Servidores e dos Serviços Públicos do Estado de Goiás, rejeitou a proposta de 13,55% de reajuste na contribuição da tabela atuarial de dependentes e agregados apresentada pelo Instituto de Assistência dos Servidores Públicos do Estado de Goiás (Ipasgo). A proposta, que também afetaria os servidores titulares do plano, foi apresentada em reunião ontem à noite, na sede do instituto, pelo presidente do órgão, Romeu Sussumu Kuabara.

Em defesa dos servidores e do serviço público em Goiás, os integrantes do Fórum destacaram que tal reajuste é inviável. “Entendemos a necessidade de reajuste, considerando que os prestadores de serviço do Ipasgo também necessitam de aumento. Porém, entendemos que o percentual apresentado não condiz com a realidade dos servidores públicos em Goiás”, resume a presidente do SINDIPÚBLICO, Nadjanara Xavier.

Uma nova reunião entre os integrantes do Fórum e a presidência do Ipasgo, para definição quanto ao reajuste, deverá ser realizada na semana que vem. “A expectativa é que o percentual apresentado pelo Ipasgo caia pela metade. A presidência do Instituto tem se colocado, desde o início, à disposição das entidades e dos representantes sindicais para chegarmos a um bom termo”, frisa Nadjanara Xavier. Ela acrescenta que também foram pauta da reunião a melhoria dos serviços oferecidos aos servidores públicos do Estado de Goiás e as coberturas oferecidas pelo plano.

No final de janeiro, Romeu Sussumu Kuabara, após reclamações de usuários e pressão realizada pelos sindicatos de servidores, reviu decisão de limitar a quantidade de exames de laboratório e de diagnóstico por imagem, suspendendo a medida. Relembre.

Fonte: Assessoria de Comunicação do SINDIPÚBLICO | Ampli Comunicação