Notícias

AGOSTO LILÁS

Agosto chegou, e com ele a campanha de enfrentamento à violência doméstica e familiar contra a mulher, conhecida como agosto Lilás. Com objetivo de reforçar a Lei Maria da Penha, a campanha busca sensibilizar e conscientizar a sociedade sobre o fim da violência contra a mulher, divulgar os serviços especializados da rede de atendimento a esse público em situação de violência e os mecanismos de denúncia existentes.

Para comemorar os 10 anos da Lei Maria da Penha, foi criada a campanha Agosto Lilás, reunindo parceiros governamentais e da sociedade civil para promover ações de mobilização, palestras e rodas de conversa, entre outras iniciativas. O Agosto Lilás se transformou numa grande campanha nacional de enfrentamento à violência doméstica e familiar contra a mulher.

Este ano, o Fórum Brasileiro de Segurança Pública publicou dados coletados em 2021 para o Anuário Brasileiro de Segurança Pública de 2022 relativos à violência letal e sexual de meninas e mulheres no Brasil. Os dados preliminares1 de violência letal contabilizam 1.319 mulheres vítimas de feminicídio no último ano, decréscimo de 2,4% no número de vítimas; e 56.098 estupros (incluindo vulneráveis), apenas do gênero feminino, crescimento de 3,7% em relação ao ano anterior.

Apenas entre março de 2020, mês que marca o início da pandemia de Covid-19 no país, e dezembro de 2021, último mês com dados disponíveis, foram 2.451 feminicídios e 100.398 casos de estupro e estupro de vulnerável de vítimas do gênero feminino. Em 2021, em média, uma mulher foi vítima de feminicídio a cada 7 horas.

Quanto à violência sexual em 2021, o estudo aponta que foram registrados 56.098 boletins de ocorrência de estupros, incluindo vulneráveis, apenas do gênero feminino. Isso significa dizer que, no ano passado, uma menina ou mulher foi vítima de estupro a cada 10 minutos, considerando apenas os casos que chegaram até as autoridades policiais.

Estes são apenas alguns dados de mostram a necessidade de se investir em políticas públicas para a segurança das mulheres. Neste sentido, campanhas como o Agosto Lilás são fundamentais para se formar cidadãos que respeitem o espaço, o corpo e a independência femininas. O Sindipúblico apoia esta iniciativa.

Denúncias

Ligue 180 – Central de Atendimento à Mulher;

Clique 180 – Aplicativo para Celular;

190 – Atendimento a emergências.

Delegacias de Polícia

Em Goiânia, a Delegacia da Mulher fica na Rua 24, no Centro e atende no telefone (62) 3201-2801. As mulheres também podem fazer o boletim de Ocorrência em qualquer outra delegacia, caso não haja uma delegacia especializada em seu município.

Apoio

Centros de Referência de Atendimento à Mulher em Situação de Violência – para os casos em que a mulher não se sente segura em procurar a polícia;

Serviços de Atenção Integral à Mulher em Situação de Violência Sexual – como abrigos de amparo;

Defensoria Pública – atende quem não tem condições de contratar advogado(a);

Promotorias especializadas na defesa da mulher.



Postado em 05/08/2022 Por Silas Araújo