Aprovado em votação definitiva durante a sessão ordinária da Assembleia Legislativa de Goiás, no dia 3 de maio, o projeto de lei nº 3479/18, de autoria do deputado Karlos Cabral (PDT), que altera a Lei nº 17.477, de 25 de novembro de 2011, voltou da Casa Civil com veto integral do governador José Eliton.

A proposta, que permite que os pais dos servidores do Estado sejam incluídos como agregados ao Ipasgo, tramita na Alego, sob relatoria do deputado Helio de Sousa.

O autor do projeto batalha agora pela derrubada do veto, no intuito de sancionar a lei que irá beneficiar os servidores estaduais usuários do IPASGO, sem que gere danos orçamentários ao instituto”, explicou Karlos Cabral. O parlamentar reitera ainda que a proposta é de que a inclusão dos pais dos servidores como dependentes seja feita mediante recolhimento de mensalidades individualizadas, indicada em tabela atuarial e descontada na conta corrente do titular.

Para Karlos Cabral, “essa mudança permitirá que os filhos possam ter a opção de disponibilizar aos pais uma saúde de melhor qualidade, cumprindo assim a função familiar que tanto defende a nossa Constituição Federal”.

Fonte: Assessoria de Comunicação do SINDIPÚBLICO| Ampli Comunicação com informações da Assessoria do Deputado Karlos Cabral